For The Win Quebra a Tradição

Blog Single

Depois de um Split intenso, repleto de momentos memoráveis, foi tempo da realização dos Playoffs do segundo Split, desta vez na região do Minho. Um evento que irá ser relembrado como um ponto de viragem e novo folgo na Liga Portuguesa de League of Legends. 

O Summer Games em Braga foi o palco escolhido para os mais importantes confrontos deste Split, com início na sexta-feira numa empolgante partida entre Sharks e EGN. Esta série contava com o favoritismo para os Sharks, equipa que a maioria dos casters e analistas via como vencedora, algo que viria a provar-se errado ao longo da tarde. Os Electronik Generation provaram-se dominantes ao longo dos dois jogos, riscando objetivos atrás de objetivos a caminho do Nexus dos Sharks, levando a equipa para as meias-finais, contra tudo e contra todos. 

Sábado os EGN já não contariam com a mesma sorte, com a For The Win a regressar à força que havia mostrado no início do Split. Se havia dúvidas que a FTW merecia estar na final, todas elas se extinguiram após uma supremacia inigualável por parte da equipa encarnada, não permitindo a equipa dos Electronik Generation sequer respirar, garantido ainda assim o 3º lugar da liga. 

Como muitos sabem, os K1CK Esports Club até à realização da grande final este domingo havia saído sempre triunfantes na liga, levando sistematicamente mais um troféu para casa, conto que se tinha vindo a repetir vezes e vezes sem conta desde 2015. A For The Win ao longo do tempo foi se desmarcando como a principal rival da equipa de amarelo, que quase fazendo jus ao seu logo de equipa, vinha vindo a renascer por entre as cinzas cada vez mais forte, conseguindo desta vez o merecido primeiro lugar que há tanto procuravam alcançar. 

Desde o início deste Split que a FTW ameaçava fazer suar os K1CK pelo troféu de campeões, colocando-os frente a frente em inúmeros eventos e competições fora e dentro da Moche LPLOL. Depois de um pequeno atraso, lá começaram os jogos levantando de imediato alguma tensão no ar. O primeiro jogo serviu para Xaky e restantes companheiros de equipa mostrarem que não estavam ali para brincar, com uma vantagem gigante desde o início do jogo que viria a ajudar a equipa nos momentos finais do jogo, em duas performances soberbas por parte de Plasma Lemon de Braum e Frozen de Ornn, numa partida que viria a ter os seus erros de ambas as partes mas que no fim deu vantagem à For The Win. 

Depois da derrota os K1CK decidiram mudar o Jungle substituindo o LeChase por styllEE, na esperança de trazer novo folgo à equipa, algo que viria a provar-se positivo. Numa espécie de jogo da corda, a vantagem alternou entre ambas as equipas mais vezes do que aquelas que me consigo lembrar, um embate de força e imponência que acabaria por dar uma vitória sofrida aos K1CK, empatando a série. Se o primeiro jogo foi demorado, o segundo jogo veio cimentar que iríamos ter uma longa final pela frente, com jogos a durarem mais de 40 minutos, algo já não muito comum. 

Os dois últimos jogos viriam a ditar a vitória final da For the Win, duas partidas que se resumem a intensas team fights, coordenação exemplar e sobretudo, um Heimerdinger Support. É bom ver mudança na liga, ver uma equipa que há tanto se debatia sair vencedor da competição, não que os K1CK até há data não tivessem sido os justos vencedores, pelo contrario, é importante relembrar que permaneceram invictos na competição até agora, mas era tempo de alguém lhes fazer frente, era tempo de mudança, de uma prova que existe competição em Portugal. 

A For The Win está de facto de parabéns, um merecido primeiro lugar que marca uma viragem na competição, e alcança algo que os seus fãs já ansiavam há bastante tempo. Suaram, lutaram, gritaram e acima de tudo, venceram. 

O embate entre K1CK e FTW está longe de estar terminado, com o Open Split a realizar-se dentro de algum tempo, até lá ficamos há espera por confrontos tão empolgantes como aqueles que pudemos assistir no Summer Games em Braga.

Share this Post: