Com vasta experiência por terras lusitanas

Blog Single

Rafael "Asier" Gómez chegou a Portugal neste 2º split e assume a posição de treinador dos Electronik Generation. Com uma vasta experiência como treinador em Espanha, Asier conta-nos sobre o seu percurso no League of Legends, as principais diferenças entre a scene espanhola e portuguesa e como teve a oportunidade de trabalhar em equipas de renome como os Giants Gaming. 

Como é que o League of Legends entrou na tua vida?
O League Of Legends entrou na minha vida quando eu e uns amigos estávamos à procura de um jogo para jogarmos juntos. Isto foi há 8 anos atrás e eu gostei tanto do jogo que continuo a jogá-lo ainda hoje!

Como surgiu a oportunidade de seres treinador?
Eu queria jogar competitivamente e tentei por vários anos no nível amador em competições espanholas. Infelizmente eu não era bom o suficiente como jogador mas surpreendentemente era bom com estratégia, então pude-me tornar treinador.

Conta-nos um pouco sobre o teu percurso até chegares a Portugal:
Eu comecei a minha carreira de treinador "profissional" nos Giants Gaming que é uma das, senão a melhor equipa Espanhola, como treinador assistente. Lá aprendi bastante e conheci ótimos treinadores como o Guilhoto. Depois saí para começar a crescer como treinador e passei alguns meses na paiN Gaming (de Espanha, não do Brasil) e fui parar à Team Heretics, onde a minha carreira de treinador realmente começou. Eu tornei-me o treinador principal pela primeira vez e nós ganhamos praticamente tudo com a Team Heretics, com a exceção do torneio de promoção para a 1ª divisão da LVP, e fomos a única equipa da 2ª divisão a apurar-se para as finais da La Copa ECI. Foi realmente um ano de muitos sucessos! Depois disso, eu tornei-me o Director de eSports da Team Heretics e conheci a scene portuguesa quando participamos no 4Gamers do Porto.

Quais as principais diferenças entre as equipas espanholas e equipas portuguesas?
Como eu disse na jornada inaugural, as principais diferenças são a estrutura/investimento e o tempo. A scene espanhola teve mais tempo para evoluir e também mais investimentos a chegar, o que ajudou os jogadores a tomarem a decisão de se dedicar a full time ao League of Legends. A maioria dos jogadores portugueses não o pode fazer porque precisam de mais segurança e estabilidade.

Como a equipa lidou com a derrota contra a For The Win na 1ª jornada?
Nós compreendemos que eles eram, naquele momento, a melhor equipa. Não tivemos muito tempo para evoluir mas mesmo assim quase conseguimos tirar um jogo à FTW. Sabemos que é uma questão de tempo e estamos a ficar melhores dia após dia.

O que achaste do ambiente da jornada inaugural? 
A jornada inaugural foi espetacular! O local era incrível e fomos tratados muito bem. Todas as vezes que venho a Portugal é uma experiência ótima e por isso espero poder ir mais frequentemente.

 

Podes acompanhar o treinador dos Electronik Generation no Twitter!

Boa sorte!

Share this Post: