A conquista do "Tri"

Blog Single

Para começar um seguimento de entrevistas com as quatro equipas que marcaram presença nesta Comic Con, nada melhor que entrevistar um jogador da equipa que conquistou, mais uma vez, o primeiro lugar do pódio. Fomos conversar com o Tiago "Aziado" Rodrigues, o mid laner dos K1ck Esports Club sobre a sua primeira conquista de um título de campeão da Moche LPLOL, o que correu menos bem e os seus planos para este novo ano que acabou de começar.

Olá Aziado! Parabéns pela conquista desta Grande Final. Quais foram os maiores desafios que encontraste?
Olá! Creio que, para todos os torneios em que competimos, os nossos maiores desafios acabam por ser sempre os mesmos, que se resumem a conseguirmos melhorar o nosso nível de jogo ao longo dos nossos treinos diários.

Como avalias a tua prestação e a da tua equipa durante esta edição Moche LPLOL 2017?
Foi um ano em que os K1CK chegaram a todos os eventos offline como favoritos e acabaram por ganhar sempre, com rosters diferentes, com diferentes obstáculos, mas a motivação para ganhar esteve sempre lá e agradeço a todos os jogadores com quem  joguei lado a lado este ano por isso.
Quanto à minha prestação individual, olho para trás e consigo ver que cresci imenso. Foi um caminho de altos e baixos, mas tornou-me num jogador melhor e mais inteligente.

Estavam à espera que fosse a equipa da Doxa Gaming a encontrar-vos na final?
Pensava que seria a For The Win Omen a chegar à final, mas a DOXA esteve bem nas meias finais e mereceram chegar ao Bo5.

Uns dias antes da Grande Final ocorreu o pré-season patch, que fez a junção das runas e das masteries num só, sendo que o mesmo teve também impacto no tournament realm. A vossa equipa estava já preparada para jogar a um nível competitivo tendo em conta a atualização?
Todos os jogadores que jogaram na Grande Final, tinham imensos jogos de Solo Queue e mesmo scrims feitas, por isso todas as equipas estavam prontas para o patch.

Os K1CK sempre foram uma equipa quase invencível. No Best of 5 da final, tivemos a oportunidade de ver 4 grandes jogos, alguns bastante renhidos não só em objetivos, mas também em team gold. Achas que a equipa dos K1CK está a perder o seu estatuto de melhor equipa aos poucos, ou são as outras equipas que estão a melhorar consideravelmente e já são mais capazes de vos fazer frente?
Aos meus olhos, com ou sem estrangeiros, com ou sem hype, com ou sem confiança da parte dos nossos adversários, no final, o resultado final foi sempre mesmo. Com mais ou menos erros da nossa parte em algumas séries, acabámos sempre por ser a equipa que tomou as melhores decisões nos momentos que realmente importavam. Acredito que na Comic Con estávamos num nível superior às outras equipas. Mesmo com bons jogadores a nível individual do outro lado, contra os K1CK o que interessa é o teu teamplay, é a tua comunicação, é o teu trabalho em equipa, porque nós não jogámos um jogo de lost lanes -> lost game. Nós adaptámo-nos da melhor maneira na maioria das situações e fiquei feliz com a nossa prestação na Grande Final, exatamente por isso.

O que consideras que ainda lhes falta para poderem alcançar os K1CK?
Já joguei com imensos jogadores de topo portugueses e uma coisa que estes 5 jogadores têm e que não vejo em lado nenhum neste país, é o quão automotivados são. Todos têm uma vontade enorme de ganhar e principalmente de ter uma excelente carreira no League of Legends. Como aprendi no passado, não chega apenas dizer que queres ganhar ou achares que queres ganhar, tens de fazer tudo por isso, tens de ser um pouco obcecado por isso e isso é algo que nos permite ter treinos mais produtivos e também que, nos momentos que mais importam, exista sempre alguém que se destaca e motiva o resto da equipa.

No 2º jogo da final, a DOXA levou a melhor, empatando a serie. Sentiram que o adversário poderia realmente surpreender-vos e que poderiam potencialmente destronar-vos pela 1ª vez nestes 3 anos de Liga?
Foi uma derrota merecida, porque começámos a facilitar imenso no mid game, esquecemo-nos várias vezes do nosso plano de jogo e por isso a derrota foi justa. No entanto, nunca nos passou pela cabeça que iriamos perder a série, simplesmente foi um abrir de olhos para nós.

O que correu menos bem nesse jogo para os k1CK? Más escolhas no champion select, visto que optaram por uma equipa full ability power comp contra um full magic resist Maokai?
Independentemente de um bom ou mau draft, é sempre possível ganhar o jogo. Nesse jogo tínhamos um Rumble, e com um Rumble queres procurar fights em espaços fechados na jungle, o que fizemos repetidamente, e mal, foi termos dado siege e ser constantemente atraídos pelo low hp da torre adversária. Se tivéssemos jogado mais para as side lanes, controlado a visão devagar e procurado fights na jungle, possivelmente o resultado do jogo teria sido diferente.

O 3º jogo foi facilmente ganho por vocês. Isso fez-vos recuperar a confiança inicial, visto que só faltava vencerem mais um jogo para levar o título?
A confiança sempre esteve lá, depois de um reset no mindset, o 3º jogo foi completamente diferente do 2º e deu perfeitamente para perceber isso.

O último jogo voltou a ser bastante renhido, mas os K1CK, com um excelente trabalho de equipa, acabaram por triunfar. O que significa para ti esta conquista?
Foi extremamente gratificante poder mostrar o nosso nível de jogo das scrims em palco. Normalmente o nosso nível em scrims é diferente do que temos em palco, e acabamos por tomar imensas decisões impulsivas, mas não foi o que aconteceu desta vez.

No final dos jogos contra a DOXA, no momento em que sentiste que tinham conquistado esta Grande Final, parecias bastante emocionado. Achas que nos poderias tentar explicar o que estavas a sentir?
Foi um momento especial pelo de facto de se tratar ser o maior troféu que se podia conquistar em 2017 em Portugal e por ser o meu dia de aniversário. Sem dúvida que será um dia inesquecível para mim, não tanto pela conquista, mas por poder fazer o que mais amo na vida à frente de tanta gente, num palco daqueles e por continuar a provar a quem não acreditou/acredita em mim, que está errado. Deixei-me levar pelo momento e deu para perceber o quão importante o mesmo foi para mim.

Sei que desististe este ano da faculdade para te dedicares ao projeto da equipa a 100%. Achas que esta conquista compensou tudo isso?
Quando desisti da faculdade o meu objetivo não era ganhar tudo em Portugal, eu queria competir nos palcos grandes lá fora, competir contra os melhores jogadores do mundo e fazer disto vida. Esta conquista demonstrou-me que estou cada vez mais perto de onde quero chegar e sem dúvida que me deu ainda mais motivação para continuar a jogar.

Recentemente anunciámos que a Moche LPLOL irá marcar presença como uma das Ligas que farão parte da European Cup da Riot Games. Esta novidade deixou-te entusiasmado? 
Sem dúvida que foi uma excelente notícia para todos os Portugueses. E claro que fiquei entusiasmado, especialmente porque sabia que ia poder continuar a competir no meu país e mesmo assim tenho a chance de poder qualificar-me para uma competição tão importante quanto essa.

O que podemos esperar do Aziado para 2018? Vamos poder continuar a acompanhar-te na Moche LPLOL ou ainda tens o futuro em aberto?
O meu plano para 2018 é continuar nos K1CK e também começar a streamar muito mais frequentemente.

Alguma pequena mensagem que gostasses de deixar aos teus seguidores e aos seguidores da tua equipa?
Quero agradecer mais uma vez a quem nos apoia, tanto a mim como à minha equipa. Obrigado por tudo, vocês são os maiores! Fiquem atentos às minhas redes sociais, porque em breve serão anunciadas grandes novidades!

Agradecemos ao Aziado pela sua disponibilidade e esperamos ansiosamente pelas novidades que terá para nos revelar!

Podem seguir este mid laner nas suas redes sociais, através do  Twitter e no Facebook.
Podem também acompanhar os K1ck Esports Club no Twitter e no Facebook.

Share this Post: