Um regresso há muito desejado

Blog Single

Depois de um split ausente da Moche LPLOL, em que trabalhou como caster na Super Liga e jogou posteriormente nessa mesma liga pelos Grow uP, está na altura de voltar à Moche LPLOL uma das caras mais conhecidas da comunidade, o João "Mantorras" Conceição. Voltando à equipa que outrora representou, este chega assim aos Electronik Generation para uma equipa reformulada na sua totalidade. Fomos conversar com o mesmo face ao que espera para este split e á sua experiência enquanto jogador.

Olá Mantorras. Como é estar de volta á Moche LPLOL?
Boas a todos. É sempre bom estar de volta ao escalão principal de League of Legends em Portugal.

Nos últimos tempos foi possível encontrar-te como treinador dos EGN, depois como jogador da mesma equipa, sendo que passaste depois para caster, mas no fim, acabas sempre por voltar a jogar novamente. A veia competitiva chama assim tanto por ti? Não achas que todas estas alterações de roles acabam por te prejudicar um pouco a nível competitivo, pelo menos na tua qualidade enquanto jogador?
Em relação à veia competitiva, enquanto acreditarem em mim e eu sentir que (ainda) tenho capacidade para jogar, irei fazê-lo. Em relação á credibilidade, penso que toda a gente que me vê, e viu trabalhar, tem noção do que sou capaz enquanto jogador.


Mantorras a jogar pelos Grow uP, a última equipa que representou na Moche LPLOL.

Jogaste pelos Grow uP no último split. Como surgiu o convite para fazeres parte dos EGN? Como é voltar “a casa”?
Simples. Houve uma série de conversas e propostas por parte dos EGN para comigo. Naturalmente que, sendo uma organização que me deu muito e me fez crescer, achei que seria uma boa oportunidade para voltar, desta vez como um jogador mais maduro e experiente.

Os EGN conseguiram conquistar o 2º lugar na LPLOL de 2015. Desde aí, ficaram sempre pelo meio da tabela. Achas que com os jogadores que constituem a equipa este ano, o top 4 poderá ser uma possibilidade?
Todos os tops são uma possibilidade, se está dentro dos nossos objetivos para esta split é um caso diferente. Acho que se a nossa equipa trabalhar para jogar o jogo (e não trabalhar para jogar os jogadores) será provável sim.

Presumo que têm treinado bastante para este novo split, visto serem uma equipa recentemente formada. Com quem estás a gostar mais de jogar nesta tua nova equipa?
O treinar bastante é relativo, acredito que a nossa equipa tem uma carga horária equilibrada e bem distribuída, conforme os diferentes tipos de treino. Somos uma equipa, no fim gosto de jogar com todos, porque temos personalidades que acabam por se encaixar bem.

Até aqui, sempre referiste que o ad carry com quem não abdicavas de jogar era o teu amigo José "Arutnev" Ventura, com quem inclusive jogaste estes últimos tempos na bot lane dos Grow uP. Desta vez, tens como parceiro o Rubén "Worst" Correia. Achas que têm sinergia suficiente para enfrentar bot lanes que estão juntas há bastante tempo?
Eu e o Worst jogamos o match up, não jogamos os jogadores. Digo isto, pois conhecimento de jogo acaba por ser melhor que o conhecimento das pessoas. Assim sendo, jogar contra uma bot lane que está junta há mais ou menos tempo é irrelevante, desde que se saiba jogar o match up. Em relação ao Arutnev, apesar de termos seguidos caminhos separados (aproveito aqui para lhe desejar boa sorte na Doxa Gaming) continuamos a ter um contacto diário. Naturalmente jogamos menos que antigamente, mas será sempre um ombro direito que sei que posso contar sempre.

Na primeira serie deste 1º split, que decorrerá ao vivo em Penafiel, vão defrontar a For The Win. Quais são as tuas previsões para este grande jogo?
A For The Win é favorita, mas vamos a Penafiel trabalhar para ganhar a série. Logo, quem tem a pressão em cima é a FTW, assim sendo, a nossa equipa vai lá jogar o jogo em si. O resultado vê-se no fim.


Equipa dos Grow uP na 1ª Split 2017 da Moche LPLOL.

No último patch, mudaram algumas coisas relativas á bot lane. Achas que estas novas alterações podem trazer algo de novo para a liga competitiva ou para ti tudo se mantém igual?
A única alteração é o desaparecimento dos Relic Shields (que dava um shield relativamente grande ao ad carry no mid game). Tirando isso, a meta competitiva continua a mesma, tanto dá para jogar snowball ou jogar lategame carries.

A LPLOL irá dar este split acesso á European Cup, pela primeira vez. Caso fossem os EGN a garantir esse mesmo acesso, achas que terias qualidade o suficiente para enfrentares as melhores bot lanes Europeias?
Acho que quem quer que seja que vá a Taça Europeia, é porque demonstrou ser consistente em qualidade ao longo de uma split inteira. Como tal, a resposta é afirmativa.

Em suma, o que podemos esperar do Mantorras para este 1º split?
Uma pessoa que se preocupa mais em ser o campeão no jogo, em trabalhar o que realmente importa e deixar de ser o campeão do falatório nas redes sociais.

Como questionei outros jogadores, qual seria a tua classificação provisorioa que farias para este 1º split, tendo em conta as equipas que atualmente constituem a liga?
Será mais fácil fazer um tier do que uma classificação, assim a caravana passa sem qualquer tipo de ruído.
S: K1CK
A: FTW, uP
B: EGN, SHARKS, XD
C: DOXA
D: WHY

Alguma mensagem que gostasses de deixar a que segue a Moche LPLOL?
Para todos os que seguem a Moche LPLOL, um grande abraço, especialmente para aqueles que realmente trabalham diariamente em prol dos Esports em Portugal. Um cumprimento especial a todos o que fazem a nossa comunidade, e um desejo de boa sorte para aqueles que ambicionam em chegar á 1ª divisão. E finalmente, que a comunidade nunca mude, pois é graças á nossa comunidade que os jogadores se levantam todos os dias cheios de motivação e vontade de trabalhar o que realmente importa, ou seja, a qualidade de jogo.

Esperamos ansiosamente para ver onde a garra da nova equipa dos Electronik Generation e do Mantorras, os irá levar!

Podem seguir o Mantorras nas suas redes sociais, no Twitter e Facebook.
Podem seguir os EGN no Twitter e no Facebook.

Share this Post: