Uma Nova Oportunidade

Blog Single

Hoje entrevistámos mais um jogador que está de regresso à Moche LPLOL, o  Kevin ”Hackali” Sousa, que desta vez no comando da mid lane do Boavista FC Esports! Após 2 jornadas de competição fomos falar com o Hackali para conhecermos um pouco mais deste projeto e sobre os resultados obtidos até ao momento.

Olá Hackali! Em primeiro lugar deixa-me dar-te as boas vindas à Moche LPLOL 2017 como mid laner do Boavista FC Esports!
Olá! Obrigado é um prazer enorme voltar à competição.

Podes contar-nos como surgiu esta oportunidade de fazeres parte da equipa de LoL do Boavista?
Como os prazos para entrar numa equipa da Liga estavam a ficar curtos, decidi explorar outras oportunidades e eventualmente convidaram-me para fazer uns jogos pelo Boavista. Gostei bastante da equipa e da demonstração do potencial da mesma, e como estavam qualificados para a 1ª Divisão, não hesitei e aceitei o convite para voltar à competição, que era um objetivo que estava a tentar alcançar há uns meses desde que voltei a jogar.

Anteriormente, já tinhas tentado mais de uma vez conseguir o apuramento para a Moche LPLOL como parte de outras equipas. O que significa para ti ter agora esta oportunidade?
Bem, em agosto tentei entrar para a Moche LPLOL com a equipa FTW. Marabusto, mas infelizmente estavam todos bastante desmotivados, não treinávamos e não fomos felizes em concretizar o nosso objetivo, que não era só a entrada na liga, mas também o apuramento para a 1ª Divisão.
Obviamente que eu queria voltar à competição. A minha reputação em 2014/2015 ficou muito mal vista e ainda hoje sou bastante criticado e recebo
hate de muitas pessoas por atitudes e decisões de um adolescente imaturo, acabando até por me tornar num meme que ainda hoje me persegue. Voltei à scene para provar que não só me tornei melhor como pessoa, mas também que vou ser uma enorme ameaça como jogador.
O meu objetivo principal é estar satisfeito com o meu desempenho e para este ser positivo terei que me dedicar ao jogo, voltar ao mais alto nível e provar que muitas pessoas estão erradas em relação a mim.
Mencionam muitas vezes o meu nome, mas conhecem pouco sobre mim.
Saí da scene com o pé esquerdo, agora é para entrar com o direito.

Sendo que és um jogador que já faz parte da scene competitiva há algum tempo, o que esperavas do evento de abertura do 2º Split?
A organização do evento de abertura foi bastante interessante. Nota-se que toda a equipa da Moche LPLOL dá o seu melhor, e tem melhorado bastante num nível geral, mesmo para além dos atrasos que acontecem. Estes atrasos nem sempre são por causa da Liga em si, mas por vezes dos jogadores e da paciência do staff e compreensão do mesmo, por isso, uma liga que pense não só na audiência, mas também nos seus jogadores é um fator importante.

No 1º jogo em Picoas, defrontaram os Exceed 9k com um line-up quase totalmente novo. Sentiam-se preparados para o encontro?
Houve pouco tempo para preparação, mas sentiamo-nos preparados, confiantes e superiores. Conhecia a experiência do Gogo em palcos e sabíamos que ele a iria tentar transmitir para a sua equipa, mas explorámos o ponto mais fraco deles e apercebemo-nos  da pressão que a bot lane deles estava a sentir de ser o seu primeiro evento. Assim sendo. montámos uma estratégia não só para jogar há volta deles, mas também para os destruir no arranque da liga com uma tática muito pouco viável e fomos felizes em surpreender.
Infelizmente, da forma como elaborámos o draft no segundo jogo, sabíamos que se eles fizessem um jogo limpo a nível de macro, conseguiriam fechá-lo facilmente, no entanto foi uma boa série, e na minha opinião foi a mais interessante de se ver.

Quando conseguiram a 1ª vitória era possível ouvir os cânticos do público em Picoas a apoiar a equipa. O que sentiste nesse momento? Estavas à espera de algo assim?
Não estava à espera de um jogo tão vibrante e de um público tão bom. Ouvir os cânticos do “Boavista!”, os gritos após as jogadas que concretizámos, foram sem dúvida momentos de arrepio e de magia que qualquer pessoa gostaria de presenciar. Entrámos com expectativas muito baixas e a nossa apresentação teve pouca reação do público, mas depois conseguimos surpreender e conquistámos Picoas com o nosso primeiro jogo.

Falando agora um pouco sobre o encontro da 2ª jornada com a Doxa Gaming. No 1º jogo foi notou-se que ainda não estavas tão à vontade com a pick do Gálio para ti. Queres comentar algo sobre essa escolha e o vosso plano para aquele jogo?
Sinceramente, senti-me bastante confortável com o Galio. Gostei da minha performance e da minha presença no jogo durante o  early game, mas sem dúvida que podia ter sido melhor. Quisemos fazer um draft surpresa, com várias flex picks e que os confundisse. Infelizmente, a superioridade dos jogadores da DOXA a nível individual notou-se e com a experiência em equipa que têm o resultado não foi uma surpresa, mas mesmo assim, estou bastante orgulhoso dos meus colegas de equipa.

No 2º jogo do Bo2 tiveste oportunidade de mostrar o teu Zed. Qual a tua opinião acerca da tua performance nesse jogo?
Mal vi a pick da Syndra, senti que ou soltaria a Irelia, ou o Zed. O early game contra a Syndra é mau, é preciso respeitá-la até chegar a nível 6 e no máximo poderia ficar atrás em 15/20 cs, se fosse mais seria problemático.
Não me foquei em ficar tanto tempo na mid lane, o Baca estava pressionado e com o jungler à sua volta, logo transitei para a bot lane e conseguimos uma
fight favorável, levando a primeira torre do jogo. À medida que jogo foi progredindo, a superioridade a nível de macro da DOXA notou-se mais uma vez, e aos poucos sentimos o jogo a cair, mas mesmo assim consegui fazer algumas jogadas que até tiveram direito a análise com slow motion por parte do BombNuker. Sinto que foi uma boa performance minha, mas não foi o suficiente para a equipa, por isso iremos trabalhar em conjunto para melhorar o nosso jogo.

Na próxima jornada encontram-se com os Y Esports, que se encontram diretamente acima de vocês na classificação. Quais são as expectativas para esse jogo?
Tal como em todos os jogos vamos enfrentá-los sem nenhum receio, com o nosso jogo, a nossa estratégia e iremos dar o nosso melhor para levar os 3 pontos para o Boavista. Contudo, é uma série na qual  será dado o favoritismo aos Y por 2-0 por parte dos espetadores, mas mesmo assim, acredito que vá ser uma série sangrenta, bem disputada e que vamos conseguir trazer pontos para nós.

Tens algum objetivo pessoal que pretendas atingir neste 2º Split da Moche LPLOL?
A nível individual espero evoluir muito como jogador, e a nível coletivo, queria pelo menos o 5º lugar para esta split. É uma entrada de uma equipa com pouco tempo de treino, logo, não era um mau começo e não me abate não ir a Playoffs tão cedo, mesmo sendo um dos objetivos principais da equipa.

Quem achas que será o teu maior adversário direto nesta etapa da Liga?
Acho que já defrontei o meu maior desafio na Liga, o Baca. Obviamente, que a competição  tem mid laners muito bons e experientes, como o Aziado, Xaky e o Holz. Contudo, como já os conheço, o que mais me preocupava era a minha prestação contra um jogador que evoluiu bastante ultimamente.

Queres deixar alguma mensagem para os apoiantes do Boavista FC Esports?
A todos os que me apoiam e a todos os que apoiam a equipa do Boavista FC Esports, um muito obrigado por acreditarem em nós e por nos darem força para vencer. Iremos dar o nosso melhor!

Muito obrigado Hackali por esta entrevista e desejamos-te o melhor para o teu futuro nos esports! Podem seguir o Hackali através das suas redes sociais: Facebook; Twitter e Instragram.
É já amanhã que o Boavista FC tema oportunidade de igualar os Y em pontos na  classificação. Acompanhem toda a ação no Rift pela Twitch, Meo Kanal 303030, Facebook do Moche!

Share this Post: